9.5.16

MEU PAI, DESENHISTA: JACK W. BRADBURY


Amigos, esta "Chutientrevista" é a primeira de uma série chamada: "Meu Pai, Desenhista" - que trará alguns herdeiros, os filhos de uma geração de artistas que eram desconhecidos (Por causa de uma política de direitos autorais da época que não identificava os nomes dos desenhistas) para os amantes de quadrinhos!


"No seu ombro repousa um desenho do pai"

Jack W. Bradbury é Professor Emérito em Ornitologia, membro do Departamento Robert G. Engel de Neurobiologia e Comportamento e Diretor da Biblioteca de Sons da Natureza na Universidade de Cornell.
Iniciou seus estudos com graduação no Reed College e recebeu seu PhD em Comportamento Animal da Universidade Rockefeller, em 1968.
Ele atuava nas Faculdades de Cornell e Rockefeller.
E completou recentemente uma temporada de mais de 24 anos como membro do Corpo Docente da Universidade da Califórnia, em San Diego. Ele voltou à Universidade de Cornell em 1999.


Nêstes trechos que postarei aqui, o pai John Morin "Jack" Bradbury contou numa entrevista - inédita no Brasil - em 1986 para seu amigo desenhista Dave Bennett, sôbre quando êle começou a desenhar e alguns fatos de sua carreira.
Inclusive em 1987, com roteiro de Jack, juntos ainda fizeram uma nova versão do personagem: "Fantasma Spencer" para a ACE Comics.



1) O INÍCIO: 

- "Primeiramente eu fiquei interessado em desenhos animados quando ainda estava na escola primária. Como eu adorava animação, já comecei então a analisar tôdas as possibilidades.
Eu não estava muito interessado em arte comercial, mas pelo que eu tinha visto nas tiras de jornal, eu sabia que era pelo menos um dos caminhos que eu deveria seguir.
Logo mais, em Seattle - por volta de 1933, eu vi no "Cinema Fifth Avenue": "Os Três Porquinhos", da Disney. 
O filme atingiu a  cidade como uma tempestade e isso abriu outro leque de interêsses para mim.


Tôda a cidade já estava cantando a música-tema!
Soube por um amigo que eles estavam à procura de novos talentos artísticos na Disney.
Eu escrevi para êles e enviei amostras do meu trabalho.
Eles responderam dizendo para que eu fôsse e tentasse - pelo menos por duas semanas.
Claro, eles fizeram isso com tôdo mundo.
Também disseram ter certeza de que eu ganharia dinheiro para me manter por lá - ou teria o bastante para voltar para casa, se quisesse.
Então eu fui.
Eu tinha mais ou menos US $ 50,00 que foi o suficiente para chegar até lá e viver por algumas semanas.
Passei no teste, e comecei a trabalhar para Disney ganhando um "altíssimo salário" de US $ 15,00 por semana."




Jack Bradbury se tornou verdadeiramente um animador dos Estúdios à partir de 1938 até 1941, quando trabalhou (Entre outras) em várias cenas importantes em filmes de animação da Disney: incluindo a luta dos cervos em "Bambi", a "Família Pégaso" pousando suavemente na água em "Fantasia" e o gato Fígaro andando na cama de Gepeto, em "Pinóquio".














Êle também continuou trabalhando em curtas de animação como: "O Touro Ferdinando" (A sequência onde os jovens touros lutavam no pasto e na cena em que Ferdinando se senta numa abelha) e em "Farmyard Symphony".(Abaixo)





2) O MEIO:

"Resolví realizar então alguns testes em animação. Você tinha que desenhar, configurar e depois filmar você mesmo.
Ai você poderia executá-la na "Moviola" para ver o resultado que depois seria corrigido, ou alterado.
Então eu fiz algumas cenas de teste  e mostrei para Hamilton Luske, que foi o diretor de: "Pinóquio" e "Fantasia".
Êle mostrou para Walt Disney que aprovou imediatamente- o que me animou a continuar.
Quando Jack Kinney já estava me dirigindo em algumas das sequências do filme: "As Aventuras de Tadeu, o Fabuloso", aconteceu uma greve.


Nós todos entramos em greve, e ficamos afastados seis ou sete semanas.
Quando tudo acabou, eu recebi um telegrama para voltar.
Ainda trabalhei por mais algum tempo - mas logo em seguida, a Disney começou a despedir um monte de gente."


Depois de um curto período trabalhando numa fábrica de aviões, Jack trabalhou com Friz Freleng na Warner Bros de 1942 à 1944 em curtas-metragens, incluindo os do "Pernalonga". 



Em 1944, êle começou a fazer histórias em quadrinhos dos seus próprios personagens: "Sapo Fremont" e o "Fantasma Spencer" para a ACG e também arte-finalizando os gibis do "Urso Bagshaw" e o "Pato Hucky" para a Nedor / Standard.
Êle continuou desenhando para essas Editôras até 1952.




Este trabalho fazia parte da "Jim Davis Shop" que arregimentava desenhistas free-lancer para fazer histórias em quadrinhos  ganhando de US $ 15,00 à US $ 25,00 para: roteirizar, desenhar e arte-finalizar - e seus companheiros "nessa empreitada" eram seus amigos: Al Hubbard, Hubie Karp, Bob Wickersham, Owen Fitzgerald, Ken Hultgren e o próprio Jim Davis.
Ainda em 1947 Bradbury também trabalhava para a "Ocidental Publishing" onde êle ilustrava livros para colorir, livros de atividades, livros de bôlso e grandes ( "O Problema  Gigante do Pateta") e centenas de revistas em quadrinhos para os sêlos: Gold Key e Dell.




Nessa época, práticamente chegou a desenhar quase todos os personagens Disney: "Mickey", "Pateta", "Havita", "Professor Pardal", "O Lôbo Mau", "Tico e Teco" - sem mencionar todos os "Patos da Disney ".


Também foi o principal artista nas histórias do Pluto, mas com seu talento fêz o desenho de quase todos os personagens que êles publicaram.



Suas representações dos personagens Disney eram tão "vivas" e tão fiéis ao material original que o próprio Walt Disney teria dito aos editores da "Ocidental" que qualquer coisa que Jack Bradbury fizesse, não precisaria da aprovação do seu Estúdio!


Além dos personagens da Disney, Bradbury se destacou com livros e quadrinhos de Walter Lantz, os personagens da Warner Brothers e "Beany e Cecil", de Bob Clampett.










No entanto, Bradbury ainda não escrevia nenhuma das histórias que ilustrava.
Seus desenhos superavam até o original, e poderiam se destacar muitas vêzes, diferenciados  por um traço superior e mais detalhista do que alguns outros artistas.


3) O FIM:


- "Havia muito trabalho a fazer na "Western", mas o único problema é que você não podia escrever seu próprio material.
E só desenhando, você não ganharia tanto dinheiro assim.
O seu trabalho não poderia ser feito muito rápido, porque tudo tinha de ser vistoriado por algum editor antes que você pudesse finalizá-lo.
Por exemplo, os gibis da "Ocidental" tinham oito painéis para cada página, ao invés de seis (Como os materiais da Davis Studio).
Tom McKimson foi o editor de arte por lá.
Eu continuei desenhando para a "Western" até 1969.
Foi quando eu comecei a ter problemas no meu ôlho.
De repente, eu só desenhava  e outro artista arte-finalizava (Ellis Eringer ou Steve Steere).
Em 1978 êles me perguntaram então se eu não preferia escrever roteiros.
Eu nunca tinha escrito para a Disney antes, a não ser contribuições ocasionais para algumas histórias distribuidas pela "Ocidental".
Eu nunca tinha levado isso muito a sério.
Aí eu disse "sim" e escrevi por algum tempo, com relativo sucesso.
Nessa época, quando eu estava perto da idade de me aposentar, tomei uma decisão.
Eu estava ficando cansado de tudo, por isso então, parei".


* Jack Bradbury foi entrevistado por Dave Bennet. 


O problema ocular de Bradbury era: "Degeneração Reticular", que é basicamente o desgaste da retina, quando pequenas manchas de proteínas aparecem no centro dela, e a visão central diminui.
Mestre Jack Bradbury nasceu em Seattle, Washington em 27 de dezembro de 1914 e faleceu em 15 de maio de 2004 - com 89 anos.














Para completar esta homenagem, em 2015 eu inicialmente entrei em contato com o filho dêle: Jack W. Bradbury - que tem práticamente o mesmo nome de seu pai - e fisicamente, é muito parecido também.
Êle não seguiu a mesma profissão, mas se tornou um Doutor Emérito em Biologia e Ornitologia.
Mike, Jack e Joel Bradbury fizeram um site para contar trechos da história dêste talento incrível.
O artista Jack Bradbury com extrema competência, transitou por tôdos os estilos e criadores, mas sempre mostrando em cada quadro, a sua própria característica, que era inconfundível!
A Família Bradbury estava um pouco relutante no início de nossos e-mails, nas nossas conversas e perguntas, mas eu finalmente consegui fotos e rascunhos, e numa seqüência exata de datas, terminar esta rápida entrevista com um cartão de Natal emocionante que foi enviado apenas para a família e amigos íntimos nos anos 1950, e uma foto inédita de Jack Bradbury!



* 17/08/2015

Olá Sr. Jack W. Bradbury.
Eu sou do Brasil e tenho um blog que fala sobre quadrinhos Disney gratuitamente, em todo o mundo. O nome é: "Chutinosaco".
Eu tive a oportunidade de entrevistar vários artistas da Disney, especialmente da Itália.
Tenho mil visitas por dia, e muitas pessoas gostariam de saber um pouco sobre seu pai: Jack Bradbury - certamente um dos grandes gênios das histórias em quadrinhos.
Será que você, ou um de seus irmãos, me daria uma entrevista por e-mail?
Deveremos ter perguntas de fãs brasileiros sôbre o trabalho dêle, e onde todos possam ver fotos, esbôços e informações sôbre seu pai.
Se você responder positivamente, retorne o e-mail, e eu enviarei as perguntas.
Obrigado, e até breve!



* 06/09/2015


Senhor Dias.
Meus irmãos e eu montamos um site com uma breve história de nosso pai John M. "Jack" Bradbury, com acesso digital a todos os quadrinhos (De sua autoria) que são agora de domínio público.
Estamos todos muito ocupados nêsses dias, por isso gostaria que você primeiro visitasse o site para ver se êle corresponde às suas perguntas.
Sinta-se livre para traduzir qualquer material para o Português, e adaptá-lo da melhor forma.
E se você tiver questões pendentes que possam ser respondidas rápidamente, envie por e-mail, e tentarei atendê-lo.
Para antecipar algumas delas: nosso pai era um homem altamente ético
e talentoso, um marido dedicado e um pai amoroso.
Ele tinha um grande senso de humor, e sempre apoiou as aspirações e sonhos de seus filhos.
Eu não sei o que mais pode ser necessário, mas espero que isso ajude.

Cumprimentos.


Dr. Jack W. Bradbury
Professor Emérito em Ornitologia
Departamento  Robert G.Engel
de Neurobiologia e Comportamento

Universidade de Cornell



* 24/04/2016


Ôi, Sr. Bradbury, eu sou Luiz Dias, do "Blog Chutinosaco Brasil".
Desculpe pela demora no envio desta homenagem a seu pai, que reduzi para apenas duas perguntas.
Estou fazendo entrevistas com os filhos de grandes artistas, êsses gênios dos quadrinhos.


1) Por favor, você e seus irmãos se lembram de algo interessante sobre o trabalho do Sr. Jack Bradbury, talvez a forma de como êle trabalhava nos quadrinhos do Pato Donald, Mickey, Tio Patinhas e outros personagens Disney?
Poderia nos dizer se êle chegou a trabalhar pessoalmente com o Sr. Paul Murry ou o Sr. Tony Strobl, enquanto estava nos Estúdios de Walt Disney?
Gostaria de saber se você poderia nos enviar algumas fotos ou alguns rascunhos de histórias da Disney que seu pai criou nesta época?
Os fãs brasileiros estão querendo conhecer!
P.S: Lembre-se sempre que as imagens que você puder nos enviar serão
usadas apenas para ilustrar esta entrevista, ok?


2) O Brasil ama o trabalho de seu pai, até hoje um dos maiores desenhistas de quadrinhos do mundo!
Quero agradecer-lhe por responder a estas duas perguntas, felicitando você e seus irmãos para fazerem aquêle site  (The Comic Art of Jack Bradbury).
Gostaria que deixasse uma mensagem sôbre quem foi o Mestre Jack Bradbury seu pai, aos seus dedicados fãs aqui no Brasil.
Um grande abraço do Brasil!



* 25/04/2016


Oi, Luiz.
Meu irmão Joel está viajando pela Europa às pressas, por isso eu mesmo vou tentar responder às suas duas perguntas.


Dr. Jack W. Bradbury

Nosso pai trabalhou para os estúdios Disney em animação ("Branca de Neve", "Pinóquio", "O Touro Ferdinando", "Fantasia", "Bambi"), durante a década de 1930.
Êle deixou os Estúdios no início da década de 1940 - e quando a Segunda Guerra Mundial terminou, ele se juntou a vários outros cartunistas (Principalmente os ex-funcionários da Disney), fazendo gibis que não eram personagens Disney.




Êste é a grande maioria do material ("Spunky", Stanley, Timothy Tartaruga, etc.) que está disponível no nosso site, no enderêço abaixo: 


"A Comic Art of Jack Bradbury"
http://jbrad.org/


Em 1950, a família se mudou de Glendale (Que estava próximo dos estúdios Disney em Burbank, Califórnia) para Newport Beach.
Nossos pais encontraram uma casa em Newport, com aposentos suficientes para o nosso pai ter seu próprio estúdio, e foi aqui que ele fêz todos os gibis da Disney.
Na verdade, foram distribuidos  por uma Editôra (Ocidental) e não pela The Walt Disney Company, diretamente.
Os editores enviavam para nosso pai os roteiros com algumas pequenas sugestões de layout bem superficiais.
Êle mesmo deveria compôr sôbre as fôlhas de desenho maiores, fazer os traços, ter alguém (Ou êle mesmo) para letreirizar, e depois arte-finalizar e enviar para a Editôra.
Êle não escrevia as histórias. Os editôres tinham outras pessoas fazendo isso.
Nosso pai era muito cuidadoso tanto ao desenhar os animais, como os personagens principais. 
Eu já estava interessado em Biologia - por isso, eu tinha um monte de livros sobre o assunto.
Muitas vêzes ele me pedia emprestado meus livros para desenhar um papagaio, um morcêgo, ou uma doninha.
Podíamos dizer que seus quadrinhos eram como uma loja de animais - porquê as proporções dos corpos dos bichos, assim como dos personagens, sempre foram cuidadosamente desenhados.
Em todos os lados de sua sala haviam gibis antigos empilhados e outros livros como referência.
Foi maravilhoso ter nosso pai trabalhando em casa.
Êle sempre teve um grande senso de humor, amava sua esposa e filhos, e foi um homem muito dedicado à família.
Mas muitas vêzes ele trabalhou 7 dias por semana para atender seus prazos.
Nosso pai sempre criou cartões de aniversário para nós, e também vários cartões de Natal que depois eram enviados para a família e amigos.
Estou te enviando um de 1950, que representa tanto a sua excelente capacidade artística, quanto o seu bom humor.
A nossa família é mostrada colocando suas meias para o Natal.

Espero que lhe seja útil.

Com os melhores cumprimentos.

Jack W. Bradbury






* 26/04/2016

Oi Jack, saudações.
Suas respostas foram excelentes, e assim poderei homenagear o grande talento de seu pai, que realizava com alegria e boas vibrações o seu incrível trabalho!
Em 2013 preparei para os fãs brasileiros uma compilação virtual de histórias em quadrinhos, realizadas pelo seu pai, para a The Walt Disney Company.
É chamado de: "Chutinosaco Especial 01- Grandes Mestres Disney ."
Eu também pertenço a um Grupo de pessoas apaixonadas por quadrinhos Disney, chamado: "Esquiloscans" - onde também foi criada uma edição de quadrinhos virtual para homenagear Jack Bradbury, chamada de: "Mestres do (César) Brito", o título da revista é uma referência à uma pessoa especializada em quadrinhos Disney, aqui no Brasil.




Aqui, estou enviando os links para você e seus irmãos poderem conhecer em Português - as histórias em quadrinhos clássicas desenhadas por êle na década de 1960.
Quando postar (A entrevista) no meu blog, eu avisarei, ok?
Apenas gostaria de mais duas pedidos: uma foto inédita de seu pai, e alguns rascunhos de histórias Disney. 
Um grande abraço, e até breve!



Luiz,
Não temos material da Disney feito pelo meu pai, pois de qualquer forma, seriam propriedade do autor e a The Walt Disney Company é muito rigorosa com direitos autorais.
É por isso que meu irmão (Joel) não colocou nenhum quadrinho Disney no nosso site. Talvez seja mais fácil, aí no Brasil.
Em anexo, envio uma foto do nosso pai visitando um jardim, num parque da Ásia em 1973.
Eu só não tenho boas fotos dêle desenhando. 
Espero que seja isso que você deseja. 
Eu realmente gostei dos dois gibis virtuais que nos mandou. Agradecemos essa homenagem ao nosso pai.
Com os melhores cumprimentos.





JACK W. BRADBURY

7 comentários:

  1. Indubitavelmente Jack Bradbury foi um artista que deixou um belo legado para a humanidade e para o reino animal!
    Obrigado à família pela acessibilidade e divulgação da obra; e a você Luiz, por mais uma bela entrevista/homenagem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente Almir!
      Êsses profissionais talentosos até então desconhecidos do grande público já nos emocionaram com seus traços incríveis!
      Eu penso que agora é nossa vêz de agradecer, homenageando-os!
      Um abraço e muito obrigado!

      Excluir
  2. Grande Luiz! Sempre com grandes e maravilhosas novidades! Mil obrigados!
    Vargas do Grêmio!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salve grande Vargas!
      É muito bom saber que podemos sempre trazer algo inédito e esclarecedor sôbre os grandes Mestres que nos fizeram tão felizes tôdos êsses anos, e mostrá-los para as novas gerações!

      Um grande abraço, meu amigo!
      Luiz Dias

      Excluir
  3. Muito legal essa matéria, parabéns!!!!

    ResponderExcluir
  4. Parabéns pela iniciativa e a homenagem a este excelente desenhista !!

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...